25 de Junho de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

SAÚDE Terça-feira, 08 de Dezembro de 2020, 08:59 - A | A

Terça-feira, 08 de Dezembro de 2020, 08h:59 - A | A

CUIDADOS COM A SAÚDE

Tire suas dúvidas sobre possíveis riscos de tratamentos estéticos

Gazeta Digital

As cirurgias plásticas e os procedimentos estéticos, desde que sejam realizados por médicos com especialização comprovada em cirurgia plástica e com título de especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, possuem, em geral, baixo risco. Para realizar um procedimento com segurança, além de procurar um cirurgião plástico habilitado, o paciente deve estar em bom estado de saúde.

 

No caso de cirurgias de médio ou grande portes, há necessidade de exames complementares (como exames de sangue e cardiológicos). Além disso, deve ser realizada em local adequado e com toda infraestrutura necessária (geralmente clínicas de grande porte e hospitais).  

 

Quem pode realizar o procedimento

 

Os profissionais habilitados para procedimentos estéticos são os Cirurgiões Plásticos e Dermatologistas. Para cirurgias plásticas, como indicado pelo próprio nome, o indicado é o Cirurgião Plástico. Há muitos médicos ou outros profissionais (como dentistas, biomédicos, farmacêuticos, enfermeiros, fisioterapeutas) que se intitulam especialistas em estética, mas não possuem formação para realizar os procedimentos de forma adequada e segura.

 

Para minimizar os riscos de um procedimento, garanta que seu médico seja realmente especialista (você pode verificar essa informação nos sites da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e na Sociedade Brasileira de Dermatologia).  

 

Para quem busca um tratamento na pele ou no corpo em geral, procure informações sobre seu médico e se ele tem prática com o procedimento que deseja realizar. Garanta que ele possua uma especialização adequada e título de especialista nas sociedades regulamentadas pela AMB - Associação Médica Brasileira (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e Sociedade Brasileira de Dermatologia). Se o procedimento for mais invasivo, como cirurgias, haverá necessidade de exames complementares e a escolha de um ambiente hospitalar ou de clínica de grande porte.  

 

Quando há erros

Os erros geralmente ocorrem em procedimentos realizados por profissionais que não possuem formação adequada, em ambiente inadequado e com produtos ou técnicas inadequadas. Cerca de 90% dos casos de queixas no CRM por possíveis erros médicos em procedimentos estéticos são contra profissionais que não são especialistas em cirurgia plástica ou dermatologia.

 

Se expandirmos os números para as queixas em geral, incluindo os profissionais não-médicos que se aventuram em realizar os procedimentos estéticos, chegaremos a uma parcela menor ainda. Ou seja, realizar um procedimento estético com o profissional adequado é um pré-requisito mínimo para evitar possíveis complicações.  

 

Como diferenciar erros de complicações

A definição de erro é: conduta profissional que pressupõe inobservância técnica capaz de produzir um dano à vida ou à saúde de outrem, caracterizada por imperícia, imprudência ou negligência.

 

1- Imperícia: execução errada de um ato técnico profissional (falta de observação das normas ou despreparo do profissional). Por exemplo, realização de um procedimento estético por profissional não habilitado e sem a especialização adequada.  

2- Imprudência: quando o profissional age sem o cuidado adequado (atitudes precipitadas ou sem cautela). Por exemplo, a realização de uma cirurgia sem a equipe adequada.  

3 - Negligência: falta de cuidado ou de precaução ao se executar um ato profissional. Por exemplo, a realização de uma cirurgia em local inadequado ou sem os exames necessários.  

 

É necessário deixar claro que todo e qualquer procedimento estético ou cirurgia pode acarretar em complicações, que são diferentes de erros.  

 

As complicações são eventos adversos ao resultado esperado, mas que podem ocorrer em qualquer procedimento, mesmo que o profissional tenha formação adequada e tome todas as precauções necessárias. Há a necessidade de que, durante a consulta médica, o médico explique as possíveis complicações e que o paciente esteja ciente de que elas possam eventualmente ocorrer, mesmo com o melhor médico, que utiliza da melhor técnica, no melhor ambiente e com o melhor produto.


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Tangará Online (tangaraonline.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Tangará Online (tangaraonline.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image