19 de Julho de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

POLÍTICA Sexta-feira, 24 de Novembro de 2023, 10:38 - A | A

Sexta-feira, 24 de Novembro de 2023, 10h:38 - A | A

SEM SURPRESAS

Vereadores criticam prefeito de Cuiabá após 19ª operação da polícia na Saúde

Gazeta Digital

Repercutindo a Operação Raio-X, deflagrada pela Polícia Civil na manhã desta quinta-feira (23), os vereadores de Cuiabá afirmaram que as irregularidades apontadas não são nenhuma surpresa. Eles lembraram que denúncias relacionadas a raios-x já foram feitas no passado e lamentaram esta que já é a 19ª operação contra a gestão do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).

 

Quer ficar bem informado em tempo real? Entre no nosso grupo e receba todas as noticias (ACESSE AQUI).

 

A operação apura irregularidades em um processo licitatório de R$ 2,6 milhões em 2022 na Secretaria Municipal de Saúde em Cuiabá.

 

A primeira a citar o caso foi a vereadora Maysa Leão (Republicanos). Ela pontuou que está é a 19ª operação contra a gestão do prefeito e lembrou que este problema com os raios X já havia sido identificado pelos parlamentares.

 

“Eu penso que a Prefeitura de Cuiaba é como aquele menino levado que a mãe promete que vai deixar de castigo e nunca deixa, que vai ter consequências e não tem, esse menino para de ouvir a mãe [...] equipamentos não eram encontrados em funcionamento antes da intervenção, foi um dos quesitos para que a intervenção [...] acontecesse, faltavam medicamentos, faltavam estrutura e faltava raio-x. Raio-x que encontrei numa inspeção no HMC, tinha uma sala lotada, abarrotada com equipamentos de raio-x ultrassom, que não eram encaminhados às UPAs”.

 

O vereador Demilson Nogueira (Progressistas) disse que já havia percebido que uma operação estava a caminho e não ficou surpreso.

 

“Antes da intervenção faltava tudo, inclusive raio-x [...] a polícia está na rua para mais esse descalabro, para mais essa vergonha [...] enquanto isso aquele cidadão da periferia [...] não tem a saúde pública a seu favor, aí mais uma operação contra aqueles que tinham a saúde pública como fonte de enriquecimento”.

 

Em sua vez de falar, o vereador Luis Cláudio (PP), membro da base do prefeito na Câmara, disse que a responsabilidade tem que ser atribuída aos verdadeiros culpados. Ele afirmou que concorda com as investigações e que elas têm que se aprofundar.

 

“Tem que culpar aqueles que realmente fizeram malversação do recurso público da saúde, que é [...] garantia constitucional de todo cidadão [...] as pessoas que fizeram têm que ser punidas pelos seus atos, têm que responder pelo seu CPF. [...] maus empresários que ficam abordando os agentes públicos de todos os entes da federação, isso tem q acabar”.

 

A vereadora Michelly Alencar (União) afirmou que a gestão Emanuel Pinheiro lidera o ranking de operações, assim como lidera a rejeição. Pesquisa do Gazeta Dados apontou que o chefe do Executivo cuiabano teve sua administração desaprovada por 56% dos entrevistados.

 

“19ª operação só nessa gestão Emanuel Pinheiro. Como não lideraria na rejeição se a população, andando na cidade, vê uma cidade abandonada? Nós estamos falando de 19 operação, a maioria sendo na saúde, em 2022 denunciamos aqui, acho que todos os vereadores da oposição, a falta de raio-x, problema nos contratos do raio-x [...] a gente tem uma operação agora apontando 2,6 milhões de reais, sobre raio-x [...] o básico está sendo esquecido, hoje nós temos uma gestão que tem essa alarmante índice de rejeição e não é por acaso”.

 

O vereador Luis Cláudio respondeu Michelly dizendo que várias destas operações foram arquivadas e que tudo é esclarecido com o tempo.

 

“O tempo é o senhor da razão, a gente vai começar a desmontar aquilo que a própria investigação dos órgãos de controle estavam fazendo, recentemente a Procuradoria de Justiça arquivou mais uma denúncia contra o prefeito Emanuel Pinheiro [...] tudo está se esclarecendo, espero que dentro dos esclarecimentos os verdadeiros culpados cumpram suas penas”.


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Tangará Online (tangaraonline.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Tangará Online (tangaraonline.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image