17 de Junho de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

POLÍTICA Segunda-feira, 07 de Dezembro de 2020, 09:52 - A | A

Segunda-feira, 07 de Dezembro de 2020, 09h:52 - A | A

RECURSOS

Verba de R$ 13 mi para filantrópicos está parada em MT

Gazeta Digital

Após o Hospital do Câncer procurar o Ministério Público Federal (MPF), o governo do Estado e a bancada federal devem se alinhar para fazer o pagamento de uma emenda parlamentar na ordem de R$ 13,8 milhões que está disponível no caixa do governo desde o mês de junho e até o momento não foi distribuída às unidades de saúde filantrópicas do Estado.

 

De acordo com o processo do MPF, a Secretaria de Estado de Saúde SES/MT informou que os recursos foram recebidos, porém não teria ocorrido indicação oficial quanto à sua destinação. De acordo com o governo, seria necessário que a bancada que destinou tal recurso oficializasse a secretaria quanto à possível distribuição dos recursos, indicando quais as entidades seriam beneficiadas e qual valor exato a ser repassado a cada uma delas.

 

Além do Hospital do Câncer, também deveriam receber recursos o Hospital Santa Helena, Hospital Geral e também o Hospital São Luiz de Cáceres. Os recursos, segundo o Estado, estão disponíveis para repasse. O líder da bancada, deputado federal Neri Geller (Progressistas), informou que não houve erro da bancada e sim que o governo não havia ainda repassado os recursos aos hospitais.

 

O deputado Dr. Leonardo (SD), que participou da reunião com o governo e o MPF para alinhar os repasses, diz que agora a situação deve ser resolvida entre o executivo estadual e a prefeitura, uma vez que para que o dinheiro chegue até as unidades deve se passar pela gestão municipal. “Estamos trabalhando para que isso seja resolvido o quanto antes. No Hospital do Câncer, por exemplo, a UTI pediátrica continua fechada esperando esses recursos”.

 

Obstáculos
O maior entrave seria o receio dos gestores dos hospitais quanto à relação do atual governador Mauro Mendes (DEM) com o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB). Outro ponto seria a destinação dos recursos, já que o dinheiro que cai no caixa da prefeitura e não é carimbado. “Nós percebemos que tem todo essa receio por parte dos hospitais, mas o Ministério Público Federal deixou claro que vai acompanhar a partir de agora até que o dinheiro chegue aos destinatários”, disse Dr. Leonardo.

 

Quanto à relação dos dois gestores, o deputado disse que espera maturidade de ambos. “É uma questão de saúde e dinheiro público, esperamos que essa rixa política não influencie na gestão de nenhum dos dois, porque seria muito prejudicial para a população”.


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Tangará Online (tangaraonline.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Tangará Online (tangaraonline.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image