17 de Junho de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

POLÍTICA Segunda-feira, 27 de Maio de 2024, 10:28 - A | A

Segunda-feira, 27 de Maio de 2024, 10h:28 - A | A

PREVENÇÃO

Presidente dá a largada para obras contra enchentes em Araraquara

Governo Federal investe R$ 143 milhões em sistema de drenagem e reurbanização na cidade paulista que teve grandes prejuízos e mortes em 2023

Redação

Na manhã desta sexta-feira, 24 de maio, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, participou da cerimônia de assinatura da Ordem de Serviço para o início das obras de macrodrenagem e reurbanização de áreas afetadas por enchentes no município de Araraquara, em São Paulo. O Governo Federal vai investir R$ 143 milhões para obras de saneamento integrado nas bacias do Ribeirão do Ouro, Córrego da Servidão, Córrego Capão do Paiva e afluentes.

“No Governo é proibido falar a palavra gasto em coisas que são investimentos. ‘Ah, R$ 143 milhões para Araraquara é gasto. É uma cidade de 200 e poucos mil habitantes, por que 143 milhões?’. Porque Araraquara é uma cidade que teve um desastre climático e merece, igual a qualquer outra, R$ 143 milhões ou mais”, resumiu o presidente, ao lado de ministros e do prefeito da cidade, Edinho Silva.

A cidade foi acometida por fortes enchentes no fim de 2022 e início de 2023. A iniciativa pretende evitar alagamentos, promover o desenvolvimento urbano sustentável e dar mais segurança à população. O presidente citou a corrente de solidariedade de todo o país para ajudar o povo do Rio Grande do Sul como retrato do país que pretende construir.

Um país, reforçou, em que todos tenham oportunidades de crescer, de acessar os melhores postos de trabalho e de garantir o básico para sua família. “Um país em que cada um respeita o direito do outro, que vive em harmonia. Um país que tenha solidariedade, como agora o Brasil inteiro está com o povo do Rio Grande do Sul, que está sofrendo a maior catástrofe climática da história daquele estado. É esse o país que queremos. Em que uma cidade ajude a outra. Um irmão ajude o outro”, resumiu.

O ministro das Cidades, Jader Filho, destacou que a obra de infraestrutura em Araraquara é a maior da história de Araraquara. Ele destacou o processo de decisão para a execução das obras e a ampliação do projeto, pensado para resolver o problema por décadas.

Quer ficar bem informado em tempo real? Entre no nosso grupo e receba todas as noticias (ACESSE AQUI).

“Fizemos o primeiro orçamento da ordem de R$ 70 milhões e continuamos dialogando, para saber se aquele valor resolveria definitivamente a questão dos alagamentos. E chegamos à conclusão, tecnicamente, de que somente aquilo não seria possível. E aí chegamos tecnicamente no valor de hoje, de R$ 143 milhões”, afirmou o ministro.

A liberação dos investimentos é resultado do esforço do Governo Federal em retomar ações e obras de prevenção a desastres naturais e evitar ocorrências como as de dezembro de 2022 e janeiro de 2023. O município foi atingido por fortes chuvas no dia 28 de dezembro e entrou em situação de emergência. Nove pontos da cidade foram atingidos e a queda de uma ponte deixou mortos e feridos. No novo PAC Seleções do Governo Federal, há mais de R$ 1,7 bilhão separados para obras de encostas e enchentes.

FERROVIA — O trecho não operacional da ferrovia onde serão realizadas as obras de macrodrenagem e reurbanização foi cedido pelo Governo Federal, por meio do Ministério dos Transportes. O chefe da pasta, Renan Filho, enfatizou que as obras vão dar um novo horizonte à cidade. “Essa obra vai garantir a integração da cidade. Essa área é uma área sem uso porque os trens estão passando fora da cidade, antes passavam dentro. A intenção é que na região seja edificado um parque, com áreas de lazer e ciclovias.

Em 2 de maio, o Ministério dos Transportes assinou o termo de cessão de uso de uma área de 2,5 km não operacional para que a prefeitura faça a obra e dê início à construção do Parque dos Trilhos, que é visto como símbolo de junção da cidade. O parque conecta a área central e a Vila Xavier, que conta com cerca de 40 mil habitantes. Culturalmente, os trilhos separavam não só a cidade, mas os moradores. Os que tinham mais condições financeiras viviam na parte dos trilhos próxima ao centro. Os demais, no “bairro dos pobres”, a Vila Xavier.

O presidente da Caixa Econômica Federal, Carlos Vieira, destacou que o passo principal e mais importante é a decisão política. “A fase seguinte é a Caixa Econômica estudar e aprovar o projeto. Feito essa fase, inicia-se a fase financeira. Estamos com 50% dessa obra pronta para ser executada. É isso que é mais importante nesse momento”, disse.

O prefeito da cidade agradeceu o apoio do Governo Federal e destacou a solidariedade do presidente Lula. “Infelizmente a cidade sofreu as enchentes de 2022 e 2023. O senhor, presidente, esteve aqui, mostrou solidariedade ao nosso povo em, talvez, um dos piores momentos da nossa história e liberou os recursos para as obras de combate às enchentes e para reurbanizar as áreas cortadas pelos trilhos”, disse o prefeito.


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Tangará Online (tangaraonline.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Tangará Online (tangaraonline.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image