16 de Julho de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

POLÍTICA Quarta-feira, 06 de Dezembro de 2023, 10:30 - A | A

Quarta-feira, 06 de Dezembro de 2023, 10h:30 - A | A

BAIXO EFETIVO

Classificados em concurso da PM podem ser convocados em 2024

Gazeta Digital

Comandante da Polícia Militar, coronel Alexandre Mendes, afirmou que no ano que vem vai apresentar ao governador Mauro Mendes (União) subsídios que mostram o déficit de policiais atuantes em Mato Grosso e a necessidade do chamamento dos classificados remanescentes no último concurso público da categoria, que hoje conta com 7 mil servidores. Ele afirma que o número de agentes é insuficiente para atender a todo o estado.

 

Em entrevista ao programa Tribuna, da Rádio Vila Real, na manhã desta terça-feira (5), o coronel afirmou que mesmo com a formação de novos militares, o número ainda é baixo para atender algumas localidades de Mato Grosso. A formação dos novos militares deve acontecer em abril e, em seguida, serão designados para atuar nas unidades. 

 

“Precisamos de efetivo mínimo em algumas localidades que estão sendo atingidas por crimes trágicos e que, em alguns casos, só têm dois policiais para cuidar do município – com 8, 9, 10 mil habitantes. Eles estão praticamente sozinhos”.

Quer ficar bem informado em tempo real? Entre no nosso grupo e receba todas as noticias (ACESSE AQUI).

Comandante ressalta ainda que há cidades que estão a mais de 1.000 km da Capital e que, quando precisam de reforços policiais, as equipes enfrentam mais de 3 horas de carro, em estrada sem pavimentação, para chegar ao município.

 

“Vamos mostrar ao governador a necessidade de chamar mais policiais militares. Mas, isso precisa ter calma para conciliar a questão financeira do estado com as reais necessidades. Claro que, quando se fala em Segurança Pública, temos que unir todos os esforços para que a sociedade se sinta protegida”, disse.

 

Mendes afirma que a PM “não tem perna para convocar antes”, já que precisam finalizar um curso para iniciar outra formação, que não é rápida. “É um curso de mínimo 9 meses, carga horária elevada, que tira pessoas fora da rotina militar e que serão adaptadas ao novo meio”, finalizou.

 

Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Tangará Online (tangaraonline.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Tangará Online (tangaraonline.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image