18 de Junho de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

GERAL Quinta-feira, 26 de Novembro de 2020, 10:54 - A | A

Quinta-feira, 26 de Novembro de 2020, 10h:54 - A | A

MODALIDADE

Tangará da serra realiza 1° oficina virtual de pais e filhos com 16 participantes

Diário da Serra

Dezesseis pais e mães participaram na noite de terça-feira, 24, da primeira Oficina de Pais e Filhos Virtual realizada pelo Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) da Comarca de Tangará da Serra. Eles estavam com problemas após ruptura do vínculo conjugal, por questões envolvendo os interesses dos filhos, como por exemplo disputa pela guarda, pagamento de pensão alimentícia ou direito de visita. Mas ao final da reunião, a juíza coordenadora do Cejusc, Leilamar Aparecida Rodrigues, afirmou ter observado uma postura diferente nos participantes, uma disposição para melhorar o convívio entre os envolvidos.


"O conteúdo da oficina por si só sugere aos participantes uma reflexão quanto ao seu comportamento com relação aos filhos, trazendo situações condizentes com a realidade que vivem e apontando possíveis caminhos a serem seguidos a partir dessa experiência, os quais proporcionarão um melhor relacionamento entre os genitores quanto à questão parental e possibilitarão aos filhos uma vida mais feliz. Trata-se de um projeto de valor humano imensurável”, destacou a magistrada.
 

Para ela, a modalidade virtual da Oficina de Pais e Filhos é uma ferramenta que agregará consideravelmente com relação ao trabalho de solução de conflitos e pacificação social: “No período anterior à pandemia, o nosso Cejusc realizou 12 oficinas de forma presencial. Nessa nova modalidade, chamou atenção a possibilidade de maior acesso aos participantes, pois tivemos participação de pais que residem em outros municípios e que puderam se fazer presentes do local de onde se encontravam, sem a necessidade de se deslocarem até a nossa comarca. Estamos muito satisfeitos com o resultado e vamos nos empenhar para realizarmos novas oficinas virtuais com uma qualidade ainda melhor”, ressaltou a juíza coordenadora do Cejusc.
 

Durante a oficina, os pais acompanharam atentamente a exposição do material do projeto e puderam interagir, tirar dúvidas e compartilhar a sua experiência diante do divórcio. Apresentada pelos expositores Carmen Olyntho, Valéria Martinazzo, Douglas Barbosa e Nivaldo Lima, a oficina teve duração de 1h30. Gestor do Cejusc, Nivaldo Lima explicou que as oficinas são realizadas antes das audiências de conciliação e que os resultados têm sido positivos, com um número maior de acordos. “Eles percebem que sem esse conflito todos podem ganhar, principalmente os filhos, que já sofreram com a separação dos pais”, reforçou o gestor do Cejusc.


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Tangará Online (tangaraonline.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Tangará Online (tangaraonline.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image