16 de Julho de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

GERAL Segunda-feira, 27 de Novembro de 2023, 08:58 - A | A

Segunda-feira, 27 de Novembro de 2023, 08h:58 - A | A

VIGILÂNCIA EM SAÚDE

SES percorre comunidades ribeirinhas para monitoramento genômico e identificação de vírus em circulação

Redação

A Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso (SES-MT) iniciou, neste mês, navegações por comunidades ribeirinhas para realização de monitoramento genômico. Ação visa a identificação de vírus e parasitas em amostras ambientais, humanas e animais. Iniciativa contribuirá para o fortalecimento das respostas rápidas e coordenadas a situações emergenciais na saúde pública.

Quer ficar bem informado em tempo real? Entre no nosso grupo e receba todas as noticias (ACESSE AQUI).

O trabalho será feito em conjunto com a equipe da SES de Mato Grosso do Sul (MS). As equipes embarcaram no dia 20 de novembro com rotas que seguem até maio de 2024. Nessa primeira etapa, serão visitadas 57 comunidades. Em MT, o grupo deve navegar por Cáceres e o Rio Cuiabá. Já em MS, a navegação ocorrerá por Ladário, Porto Murtinho e Corumbá. A iniciativa deve ter um prazo de cinco anos.

O projeto Navegação Ampliada para a Vigilância Intensiva e Otimizada (Navio) é uma iniciativa conjunta com diversas instituições e sua execução acontece em parceria com a Marinha do Brasil, Fundação Oswaldo Cruz de Minas Gerais (Fiocruz Minas), Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-MT), Superintendência de Vigilância em Saúde da SES-MT e Lacens de Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Paraná. 

Conforme o secretário adjunto de Atenção e Vigilância em Saúde, Juliano Melo, o objetivo da iniciativa é identificar e caracterizar os patógenos virais em circulação nessas comunidades, com especial atenção para doenças infecciosas causadas por arbovírus, como Dengue, Chikungunya, Febre do Mayaro e Covid-19. 

“A estratégia combina análises genômicas de alta resolução com dados epidemiológicos e climáticos para obter uma compreensão mais abrangente das complexas interações entre patógenos, vetores, hospedeiros e o ambiente. Isso é especialmente relevante considerando os efeitos das mudanças climáticas ocorrida ao longo dos anos nessas regiões”, explica o gestor. 

A diretora do Lacen-MT, Elaine Cristina de Oliveira, ressalta ainda que projeto inclui também atendimentos médicos e odontológicos, educação em saúde e programas de vacinação tanto para seres humanos quanto para animais. “Os dados coletados proporcionarão uma compreensão ampliada das complexas interações entre patógenos, vetores, hospedeiros e o ambiente, especialmente considerando os impactos das mudanças climáticas nessas regiões buscando identificar áreas prioritárias para vigilância, permitindo um olhar mais preciso às possibilidades de emergências e a implementação de medidas de prevenção e controle”, entende Elaine.

O Lacen-MT é referência estadual em análises de saúde pública de média e alta complexidade, desempenhando um papel estratégico na execução da Vigilância Laboratorial, com foco no diagnóstico de doenças e agravos relevantes à saúde. Para Elaine, o monitoramento das linhagens e variações genéticas dos vírus e parasitas é fundamental no enfrentamento de situações emergenciais na saúde pública, contribuindo para as ações de resposta rápida e coordenada.

 

Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Tangará Online (tangaraonline.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Tangará Online (tangaraonline.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image