15 de Julho de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

GERAL Segunda-feira, 27 de Novembro de 2023, 08:59 - A | A

Segunda-feira, 27 de Novembro de 2023, 08h:59 - A | A

MONITORAMENTO DA ÁGUA

Sema divulga boletim de balneabilidade de 12 praias na região do Médio Teles Pires

Redação

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) analisou 12 praias na região do Médio Teles Pires na campanha de balneabilidade 2023. Dez delas foram classificadas como próprias e duas como impróprias para banhos.

Quer ficar bem informado em tempo real? Entre no nosso grupo e receba todas as noticias (ACESSE AQUI).

Foram coletadas amostras de água nos municípios de Colíder, Guarantã do Norte, Matupá e Peixoto de Azevedo.

As duas praias analisadas em Peixoto de Azevedo, Cachoeira da 11 e Balneário Beira Rio, foram classificadas como impróprias conforme análise da água. As dos outros municípios estão próprias.

As amostras foram coletadas pelo Comitê de Bacia Hidrográfica (CBH) Médio Teles Pires e analisadas pelo Laboratório de Monitoramento da Água e do Ar da Sema.

O processo de coleta de dados em campo até a análise de laboratório ocorreu entre 28 de agosto e 5 de outubro.

As praias consideradas próprias para banho foram em Matupá: Lago Matupá (Lago 01), Captação do Rio Peixoto de Azevedo e Rio Peixotinho I (na Ponte Peixotinho I e Cachoeira E-60). Em Guarantã do Norte: Balneário Stregue e Balneário do Cláudio, no Rio Braço Norte e Clube de Campo Cachoeirinha no Rio Braço Sul. Em Colíder: Cachoeira da Família no Rio do Jordão, cachoeira Mercúrio no rio do Meio e Rancho Baixadão no Córrego Esperança.

Ethiane Agnoletto, Presidente CBH Médio Teles Pires, ressaltou a importância da Balneabilidade no Estado de Mato Grosso e a utilização da água para fins recreativos. “É importante conhecer a qualidade da água para garantir a conservação dos recursos hídricos e a proteção da saúde da população. É relevante a aquisição de dados contínuos de balneabilidade, para gerar um histórico consistente dos principais locais destinados ao banho nos municípios e dessa maneira obter êxito no que tange a saúde da comunidade”.

Campanha de Balneabilidade

A Campanha de Balneabilidade 2023, que teve início em junho e é realizada todos os anos em várias regiões do Estado, avalia a qualidade da água para recreação primária. O Laboratório de Monitoramento da Água e do Ar da Sema, por meio de amostras coletadas em diferentes dias consecutivos, realiza a análise da água em praias com maior número de visitantes e a classifica como própria ou imprópria para banho.

A campanha traz informações essenciais para quem usufrui do rio para recreação primária, que é o contato direto e prolongado com a água.

A utilização da água para fins recreativos é comum no Estado de Mato Grosso, principalmente nos rios próximos às cidades, onde ocorre a formação de praias na época da seca. Por esse motivo torna-se relevante conhecer a qualidade da água para garantir a conservação dos recursos hídricos e proteção da saúde da população.

A Sema orienta a população a sempre evitar a recreação de contato primário (balneabilidade) nos locais classificados como impróprios, evitar o banho após a ocorrência de chuvas de maior intensidade, evitar ingestão de água destes locais sem o devido tratamento, com redobrada atenção a crianças e idosos.

A população também pode comunicar à Secretaria, eventos ou circunstâncias que possam levar a dúvidas quanto à manutenção da condição de balneabilidade de qualquer recurso hídrico utilizado para recreação de contato primário, para que a Pasta, se necessário, adote providências de novas avaliações.

Tanto a análise como a classificação de balneabilidade são importantes, pois, ao verificar a existência de lançamentos de esgoto sanitário, fezes de animais ou presença de microrganismos patogênicos próximos aos rios é possível evitar doenças como poliomielite, cólera, hepatite, febre tifóide, gastroenterite, doenças da pele, entre outras. Portanto, é possível garantir a conservação dos recursos hídricos e proteger a saúde da população.

Como é feita a análise

A coleta da balneabilidade tem a sua metodologia descrita na Resolução nº 274/2000 do Conselho Nacional do Meio Ambiente. Ela consiste na realização de amostragens durante 5 semanas consecutivas. São coletadas amostras de água em locais utilizados por banhistas para recreação de contato primário (balneabilidade), no trecho onde é possível atingir a isóbata de 1 m.

São coletadas amostras para análise microbiológica e medido o pH. As amostras são acondicionadas em caixas térmicas e enviadas para análise no Laboratório da Sema, em Cuiabá, onde são processadas. Esse processo vai se repetir uma vez por semana, durante 5 semanas.

Ao final, técnicos da Sema emitem um boletim informando se a praia está própria (excelente, muito boa ou satisfatória) e imprópria para banho.

 

Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Tangará Online (tangaraonline.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Tangará Online (tangaraonline.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image