17 de Junho de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

ENTREVISTA DA SEMANA Segunda-feira, 27 de Maio de 2024, 08:33 - A | A

Segunda-feira, 27 de Maio de 2024, 08h:33 - A | A

ABÍLIO BRUNINI

Abílio afirma que o ministro Haddad está usando polêmica como estratégia

Redação

Depois de uma discussão acalorada com o ministro da Economia, Fernando Haddad, em uma audiência na Câmara dos Deputados, o deputado Abílio Brunini (PL-MT) afirmou que o ministro persiste no “negacionismo econômico”.

Brunini destacou também o crescimento da taxa de desemprego, que alcançou 7,9% nos primeiros três meses deste ano, e o recorde da dívida pública atingindo R$ 6,5 trilhões, com o corte de R$ 4 bilhões nos investimentos em Saúde e Educação.

Abilio provocou a polêmica ao analisar certos indicadores econômicos do país e questionar se o ministro Fernando Haddad era contrário às teorias econômicas. Ele citou o aumento nos preços dos alimentos, como o arroz, com a preocupação com o desemprego e os protestos trabalhistas.

Abílio mencionou também o acréscimo de empréstimos durante a gestão de Lula, identificando um aumento significativo nesse período. Ele questionou a influência das grandes instituições financeiras na atual administração, indicando que os associados do Banco Itaú foram alguns dos principais apoiadores da campanha de Lula. De acordo com o parlamentar, esses associados, que fazem parte da lista dos mais ricos da revista Forbes, tiveram um considerável aumento em suas receitas em 2023, sendo o Itaú o líder dessa expansão.

Quer ficar bem informado em tempo real? Entre no nosso grupo e receba todas as noticias (ACESSE AQUI).

“Deputado confronta Haddad e vira alvo de galhofa nas redes sociais. Silêncio, às vezes, é de ouro!”

Centro Oeste Popular — Durante a comissão com o ministro Haddad, houve várias divergências com o senhor e todos os questionamentos em relação à condução da política econômica rendendo também criticas do outro lado, pode explicar um pouco essa contextualização?

Deputado Abílio — Foi uma coisa muito sem sentido para falara a verdade, fazia perguntas para ele sobre economia, sobre a dívida pública que está em R$ 6,5 trilhões e sobre os recordes na queda da economia, a arrecadação está em alta, só que esta gastando mais do que está arrecadando, e estava contando essas questões, fiz várias perguntas para ele sobre isso, e ele simplesmente responde sobre à terra, sobre cultura e antropologia, fugiu de todas as respostas sobre economia, mudou de assunto, e o assunto de certa forma acabou viralizando, porque é uma pauta que a esquerda muita das vezes compra e alguns veículos mais ou menos no estilo da ‘choquei’, organizado estrategicamente acaba replicando aqueles conteúdos.

Centro Oeste Popular — Quando o senhor perguntou se o ministro Haddad era ‘negacionista’, o que estava querendo dizer exatamente?

Deputado Abílio — Estava dizendo que ele era um negacionista da economia, porque ele estava negando todos os números que estavam publicados, números evidentes. Então, ele perguntou se ele era o negacionista da vacina, mudando o foco de tudo, estava falando do negacinismo da economia, deixei bem claro isso, mas, infelizmente ou de forma estratégica, ele acabou desviando o assunto e tornando tudo um problemão.

Centro Oeste Popular — Nenhum ponto da fala do ministro chegou a convencer o senhor e a bancada do PL sobre os dados apresentados em relação ao desempenho do governo federal com a economia?

Deputado Abílio — Então, o que ele fala ou ele apresenta está em dissonância com aquilo que é público, teve durante esse primeiro trimestre a maior alta, por exemplo, no número de desempregos que aumentou significativamente, o prato da comida do brasileiro esta mais caro, o arroz está mais caro, os alimentos estão com preços em alta, a picanha não chegou na mesa, então assim, o que ele diz e o que ele fala, está em dissonância com aquilo que está público, e quando questiono ele sobre o que já está público, e não necessariamente sobre os números que ele apresenta, porque os números públicos são diferentes que ele apresenta, então ele acaba fugindo do assunto, ele não responde nenhuma das minhas perguntas, sobre a dívida pública, o preço dos alimentos, a inflação, sobre tudo isso, ele desviou desse assunto e falou de outros temas.

Centro Oeste Popular — Quais são as principais críticas que o senhor tem em relação à condução da política fazendária?

Deputado Abílio — Uma das principais crítica é que gasta mais do que o país numa situação que está principalmente com essa incerteza sobre a reforma tributária, um não cumprimento das metas fiscais, o arcabouço fiscal só de fantasia, apenas de ato simbólico, esse descumprimento das metas ela traz para o prato do brasileiro, o preço mais caro, porque tudo começa a inflacionar, as coisas começam a mudar o preço e infelizmente o ministro não soube responder nenhuma das perguntas.

Centro Oeste Popular — Essa polêmica toda que você se envolve isso não fragiliza um pouco a sua campanha eleitoral aqui em Cuiabá, como analisa isso?

Deputado Abílio — Olha, penso que é natural quando se posiciona talvez a melhor posição que muitos pensam que deveria ser é oposição de não fazer nada, porque às vezes aquele que se posicionam melhor, acaba sendo atacados mesmo, e tenho que incluir o ministro da fazenda, tenho que fazer perguntas, se ele de uso estratégico de marketing fugiu das respostas e pautou a impressa por conta de alguma narrativa que eles construíram, é problema dele. Fiz o meu papel, agora, polêmicas que acabo me envolvendo, são polemicas dos quais sou eleito para fazer, sou deputado do qual tenho que fazer um enfrentamento ao governo e principalmente questioná-los, já essas narrativas, sempre vão ter, tiveram essas narrativas contra o Milei, contra o Enéas, contra Bolsonaro e contra Emanuel em 2020, onde falaram que Emanuel era mais maduro, educado, bonzinho e que eu era o louco, agora podemos ver que o bonzinho tem 19 operações e o “louco” continua fazendo seu trabalho de fiscalização.

Centro Oeste Popular — No congresso, o senhor é conhecido como o deputado das ironias, que pergunta ironicamente, como analisa isso?

Deputado Abílio — Visto pela esquerda, pela direita não é visto dessa forma, pela visão do lado da esquerda talvez veja dessa forma, no ângulo de visão do lado da direita vê de outra forma e o pessoal do centro tem buscado muito apoio com da direita, tanto é que tem participado de oito comissões, um deputado que participa de tantas comissões assim, não é escalado nessas comissões, por não está fazendo o seu papel adequadamente.

Centro Oeste Popular — O senhor acredita que está na hora de voltar para campanha em Cuiabá, e não se envolver nas polêmicas em Brasília?

Deputado Abílio — Todo petista deseja minha saída do congresso, todos querem que me afaste dessas pautas, mas, estamos cuidando do nosso trabalho como deputado federal, e no momento certo, vamos cuidar da pré-campanha do prefeito na capital.


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Tangará Online (tangaraonline.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Tangará Online (tangaraonline.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image