22 de Julho de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

CIDADES Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2023, 10:58 - A | A

Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2023, 10h:58 - A | A

DEZEMBRO LARANJA

Manchas e pintas podem ser um alerta para câncer de pele, diz médica

Gazeta Digital

Vivendo em uma cidade com altas temperaturas e com exposição intensa ao sol, os cuidados com a pele devem ser redobrados. Uma simples mancha ou até mesmo uma pinta podem ser um alerta de saúde. Em muitos casos, essas lesões na pele podem se tratar de uma lesão cancerígena, é o que alerta a dermatologista Vivian Galindo durante o Dezembro Laranja, mês de conscientização de combate contra o câncer de pele. 

 

Ao GD, ela explicou que toda pessoa que estiver com uma lesão na pele, uma pinta diferente, uma mancha com sangramento, deve procurar um dermatologista imediatamente. "O profissional vai avaliar a lesão de forma clínica, ampliar a imagem e chegar até as estruturas internas, podendo dizer se tem chances ou não de ser algo maligno", disse. 

Quer ficar bem informado em tempo real? Entre no nosso grupo e receba todas as noticias (ACESSE AQUI).

Vivian explica que o câncer de pele se divide em 3 tipos, sendo o carcinoma basocelular - que é o mais comum e também o menos agressivo - ele surge através de uma ferida ou nódulo. 

 

Já o carcinoma epidermoide também surge por meio de uma ferida ou sobre uma cicatriz, principalmente aquelas decorrentes de queimadura. Por fim, o melanoma, que é o mais grave e surge como uma mancha escura, podendo ocasionar até metástase. 

 

Diagnóstico

Em caso de suspeita, o médico vai solicitar uma biópsia para, só depois, dar um diagnóstico. Caso seja constatada a célula cancerígena, o paciente vai ser orientado a passar por um procedimento cirúrgico, onde essas células são retiradas. 

 

Vivian destacou ainda que, em casos do câncer de pele, diagnósticos precoces têm chances de até 90% de cura. 

 

Prevenção

Conhecido por ser o câncer mais frequente no Brasil, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) criou em 2014 a campanha do Dezembro Laranja voltado para conscientização, alerta e diagnósticos precoce, diante disso a dermatologista dá algumas dicas para como se prevenir das radiações solares que são as maiores causadoras da doença. 

 

"A prevenção é evitar exposição solar intensa, pois o principal fator de risco para evoluir para o câncer de pele é a exposição solar, então evitar o sol principalmente das 10h às 15h que tem uma radiação UVB a mais carcinogênica, se for se expor usar o protetor solar, reaplicar sempre de 2h em 2h, se tiver na praia usar chapéu", pontuou. 


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Tangará Online (tangaraonline.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Tangará Online (tangaraonline.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image