16 de Junho de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

CIDADES Quinta-feira, 10 de Dezembro de 2020, 09:56 - A | A

Quinta-feira, 10 de Dezembro de 2020, 09h:56 - A | A

TECNOLOGIA

Governo de MT frea desmatamento ilegal e digitaliza aplicação de multas e embargo de áreas

Gazeta Digital

O governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), iniciou o uso, na tarde de quarta-feira (9), do sistema digital de fiscalização e lavratura de autos ilícitos ambientais e demais sancionatórios, o SIGA Autuação.

 

O aplicativo, que irá possibilitar o gerenciamento online de dados e procedimentos de fiscalização ambiental, vai permitir a rápida lavratura dos autos e a disponibilização de multas e embargo de áreas desmatadas ilegalmente no Estado no Portal Transparência da Secretaria em tempo real.

 

O SIGA Autuação, que ocorre no âmbito do projeto SEMA Digital, vinculado ao Programa Mais MT, irá atender inicialmente a coordenadoria de Fiscalização de Flora da Sema e, depois, será expandido para o Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental (BPMPA) e Batalhão de Emergências Ambientais do Corpo de Bombeiros.

 

O objetivo, de acordo com o governador Mauro Mendes (DEM), é aumentar a celeridade, a eficiência e melhorar a transparência dos dados, que poderão ser acessados por qualquer cidadão através de um QR Code que é gerado pelo aplicativo após a imediata lavratura dos autos.

 

“Foi um ano de muitos desafios, a pandemia nos trouxe uma perspectiva diferente, mas apesar dessa nova realidade e das dificuldades impostas, nós tivemos avanços importantes. Nós estamos no caminho certo e isso irá nos permitir, a partir de 2021, aprimorar essas ações para conseguir resultados ainda melhores quanto ao desmatamento ilegal e às queimadas em Mato Grosso. Hoje estamos nos tornando mais eficientes para fiscalizar, autuar e para julgar com mais rapidez as infrações”, destacou o governador.

 

O SIGA Autuação foi lançado durante a última reunião de 2020 do Comitê Estratégico para o Combate do Desmatamento Ilegal, a Exploração Florestal Ilegal e aos Incêndios Florestais (CEDIF-MT), que é presidido pelo governador Mauro Mendes e reúne, ainda, a Casa Civil, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente, a Secretaria de Segurança Pública, a Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Corpo de Bombeiros Militar e o Instituto de Defesa Agropecuária (Indea).

 

Conforme demonstrado durante o encontro, que contou com a participação de representantes do Ministério Público Federal (MPF), das Forças Armadas e do Ibama, o sistema SIGA Autuação pode ser acessado mesmo em áreas remotas em que não há disponibilidade de internet. Após a lavratura do auto de infração, os dados são encaminhados automaticamente para que os órgãos competentes prossigam com a punição dos responsáveis pelas áreas embargadas.

 

“É um grande avanço para o Estado de Mato Grosso, que além de melhorar a eficiência e a transparência irá reduzir o trabalho manual da equipe da Sema que é responsável por esse processo e que, até ontem, era físico. Havia muita burocracia para ser realizada e, agora, nós iniciamos o SIGA Autuação disponibilizando automaticamente, a partir do momento em que os atos são lavrados, todos os dados padronizados e balizados na legislação vigente. Toda a integração desse sistema permite, que uma vez enviados para a web, os órgãos de controle possam receber e, nos âmbitos criminal e civil, iniciar a responsabilização”, explicou a secretária de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti.

 

“A burocracia é horrível e não tem nada a ver com a preocupação que a gente tem com o comportamento dos governantes. A gente fiscaliza do mesmo modo, mas não pode por isso emperrar a máquina”, pontuou o procurador de Justiça, Luiz Alberto Esteves Escalope.

 

Redução da média de desmatamento

De acordo com o projeto de Monitoramento do Desmatamento da Floresta Amazônica Brasileira por Satélite (Prodes), divulgado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Mato Grosso manteve o desmatamento sob controle freando a tendência de aumento em toda Amazônia Legal.

 

No período de estiagem, quando a pressão costuma ser maior, os alertas de desmatamento reduziram em 30% para o mês de julho, 22% em agosto e 47% em setembro em relação aos mesmos períodos de 2019. No ano passado, a taxa Prodes em Mato Grosso se consolidou em 1702km² de desmatamento no bioma Amazônico. Este ano, o crescimento foi de apenas 4%, o que manteve o desmatamento sob controle no Estado.

 

“Os dados do Inpe são de julho do ano passado a agosto deste ano, e nós tivemos um pequeno crescimento de 4%. Devido ao tamanho do nosso Estado e a todas as dificuldades nós comemoramos esse resultado. Quando nós fazemos um recorte do segundo semestre desse ano, que aí aparecem os resultados mais efetivos do trabalho do CEDIF e das agencias envolvidas, nós tivemos uma redução de 28%. Isso mostra que o trabalho foi exitoso”, comemorou o governador Mauro Mendes.


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Tangará Online (tangaraonline.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Tangará Online (tangaraonline.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image