25 de Junho de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

CIDADES Quinta-feira, 03 de Dezembro de 2020, 10:34 - A | A

Quinta-feira, 03 de Dezembro de 2020, 10h:34 - A | A

CONFLITOS EM ARIPUANÃ

Garimpo de Aripuanã é legalizado em acordo com validade de 3 anos

Gazeta Digital

O Governo do Estado concedeu a licença de instalação para a Cooperativa de Mineradores e Garimpeiros de Aripuanã (Coopemiga) na segunda-feira (30). O documento tem validade até o final de novembro de 2023 e foi liberada pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema).

 

Em julho, foi assinado um Termo de Compromisso e Ajustamento de Conduta entre a cooperativa, a Companhia Mato-grossense de Mineração (Metamat), a mineradora Nexa e a Agência Nacional de Mineração (ANM) que teve como objetivo resolver o conflito pelo uso da área no município de Aripuanã (1002 km a Noroeste de Cuiabá). Desta forma, os garimpeiros poderão explorar ouro legalmente.

 

A licença concedida pela Sema permite a instalação de maquinários dentro da área de 516 hectares cedida para a cooperativa, localizada na Fazenda Dardanelos. O presidente da Coopermiga, Antônio Vieira da Silva, afirmou em entrevista que com esta licença começam a instalar os moinhos, rampas e maquinários.

 

“Depois vem a Licença de Operação, que é a última. Nós vamos depender dela ainda, mas acredito que nos próximos dias, com tudo implantado e pronto para vistoria, muito em breve vamos conseguir", disse a um site local.

 

O presidente da Metamat, Juliano Jorge Boraczynski, acredita que com o avanço das licenças há a possibilidade da garantia do sustento para as famílias que sobrevivem da extração de ouro. "É um acordo que terá um impacto social muito grande na cidade e na região, e que possibilitará que os trabalhadores possam legalizar sua produção", afirmou.

 

O presidente da Coopemiga reforçou que a legalização da atividade traz benefícios para todos os moradores do município. “Assim como também para o estado de Mato Grosso e garimpeiros de todo Brasil que estão residindo hoje aqui na cidade. Nossa atividade ajuda a movimentar a economia, trazendo garantia de renda e emprego para o município, estado e Brasil", completa.

 

A cooperativa informou que cerca de 6 mil pessoas estão ligadas à atividade garimpeira no município de Aripuanã atualmente. Da área destinada ao garimpo, serão construídas moradias para os garimpeiros em uma “vila garimpeira”.


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Tangará Online (tangaraonline.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Tangará Online (tangaraonline.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image