16 de Junho de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

CIDADES Segunda-feira, 23 de Novembro de 2020, 09:02 - A | A

Segunda-feira, 23 de Novembro de 2020, 09h:02 - A | A

BALANÇO

Cuiabá registra 5 casos de furto de cabos a cada 7 dias

Gazeta Digital

Cuiabá tem em média 5 furtos de cabos de telefonia e internet por semana e este ano já foram contabilizadas 250 ocorrências. Em 2019, foram 243 notificações em todo ano, desse tipo de crime à Delegacia de Roubos e Furtos (Derf) da Capital. Após o furto, população padece à espera do restabelecimento dos serviços.

 

Quase uma semana sem internet e telefone. Isso foi o que enfrentou a bancária Luiza Fontes, 55, nesses últimos 15 dias. Ao fazer o chamado para a operadora de telefonia, foi informada que a interrupção do serviço era resultado do rompimento do cabeamento. Precisei rotear a internet do celular para o computador, mas teve um dia que travou tudo, lembra. Na ocasião, a bancária teve dificuldade para registrar a saída do trabalho.

 

A publicitária Tania Kramm, 43, também relata que já enfrentou esse problema de interrupção da internet por conta de cabeamento rompido outras vezes. Contudo, na semana passada, foram 4 dias sem qualquer sinal. Nunca ficamos tanto tempo assim, pontua. Ao reclamarmos, fomos informados que a empresa (Vivo) teria até 10 dias úteis para resolver, conta.

 

As empresas de telefone foram procuradas, para se manifestar, e por meio do Conexis Brasil Digital (sindicato que representa as principais operadoras de telecomunicações do país), enviaram uma manifestação genérica. A entidade não possui dados regionais e pontuou, em nota, que o setor defende junto às autoridades de segurança pública a relevância do tratamento do tema, bem como o necessário endurecimento na repressão deste tipo de crime, com a devida punição exemplar aos que prejudicam a sociedade com esses delitos.

 

Docente do curso de engenharia elétrica da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Danilo Ferreira de Souza, destaca que a motivação para o furto é a existência de cobre dentro dessa fiação. O cobre é um metal que, no mercado paralelo, tem um valor muito elevado, podendo chegar a R$ 25 ou R$ 30 por quilo, ressalta. O alumínio é em torno de 5 a 7 vezes mais barato.

 

O titular da Derf, delegado Guilherme Bertoli, ressalta que a segurança pública está ciente desse tipo de crime que gera prejuízo tanto para as empresas quanto para o consumidor e reconhece que é uma modalidade de difícil investigação. Além disso, como as penas previstas na lei penal são brandas, dificilmente os criminosos ficam presos. Logo, a sensação de impunidade consolidada é um dos principais fatores que alimentam tais práticas delituosas, conclui.


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Tangará Online (tangaraonline.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Tangará Online (tangaraonline.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image