21 de Maio de 2019

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO
logo

Quinta-feira, 18 de Abril de 2019, 14h:51 - A | A

Sindicatos rurais cobram mais segurança no campo em MT

image

Arcando com despesas que deveriam ser pagas pelo governo do Estado, como diárias e alimentação de policiais em serviço, além de combustível e manutenção de viaturas, segundo eles, os presidentes de cinco sindicatos rurais se reuniram com o secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, para cobrar mais segurança no campo, em especial na Região Nordeste de Mato Grosso.

Estiveram com Bustamante os presidentes Fernando Tulha (São José do Xingu), Anísio Vilela (Vila Rica), Otalécio Januário (Santa Cruz do Xingu), Alessandro Pires (Porto Alegre do Norte) e Birajá Capuzzo (Confresa), acompanhados pelo diretor de Relações Institucionais da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), José Luiz Fidelis.

A informação de que os produtores rurais têm bancado despesas de policiais é do Anísio Vilela, do sindicato de Vila Rica. Nem assim, conforme os presidentes Otalécio, Alessandro e Birajará, os produtores e trabalhadores rurais têm se sentido mais seguros.

“A sensação de insegurança e o medo estão tirando a paz dos produtores rurais e das famílias que vivem no campo. Na região, tem propriedade rural invadida por criminosos que conseguiram levar mais de 400 cabeças de gado. Como pode isso? Sem falar nos casos em que produtores, colaboradores e familiares são mantidos em cárcere ou, até mesmo, têm suas vidas ceifadas”, afirmou um deles.

Ao secretário, os presidentes entregaram um ofício solicitando a intervenção do Estado na região. No documento, pedem melhores condições de trabalho para as Polícias Civil e Militar, ações efetivas de inteligência e investigação, patrulhamento rural, viaturas, efetivo, combustível, entre outros.

Durante a reunião, secretário sustentou que medidas já estão sendo estudadas (Foto: Assessoria)

O que diz o governo?

Ao receber as demandas, Bustamante afirmou que medidas que já estão em estudo, entre elas a criação de um sistema de monitoramento de rodovias, bem como a criação de unidades da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) da Polícia Judiciária Civil em pontos estratégicos.

O secretário ainda pediu apoio dos sindicados, no sentido de orientar produtores rurais a contribuírem com o trabalho das Polícias Civil e Militar, fornecendo informações e sempre registrando boletins de ocorrência, denúncia de suspeitos. Bustamante disse ser importante ainda o reforço na segurança particular como, por exemplo, instalação de câmeras de monitoramento, controle de estoque de defensivos agrícolas, entre outras ações.

Apoio institucional

Diretor de Relações Institucionais da Famato, José Luiz Fidelis disse que a entidade está disposta a colaborar com o Estado por meio dos 92 sindicatos rurais, na tentativa de prevenir e coibir ações de organizações criminosas que atuam no campo, orientando os produtores rurais sobre as medidas de segurança.

Fidelis citou ao secretário ainda as atribuições do Fórum Agro MT – composto pela Famato, Aprosoja, Ampa, Acrimat, Acrismat e Aprosmat e presidido pelo presidente da Famato, Normando Corral – que também pode ser um importante parceiro nas ações de segurança pública voltadas ao  campo.

O encontro foi intermediado pelo comandante Regional da Polícia Militar de Vila Rica, Coronel Walter Silveira dos Santos, que também participou da reunião.

*Com assessoria

Imprimir





image